Como identificar um abusador no contexto doméstico.

Atualizado: Jul 15

O que é abuso?

Abuso é caracterizado por comportamento ou ação dirigida ao outro com o intuito de controlar, intimidar, ameaçar ou ferir, para isso usar os vínculos íntimos, de confiança e dependência para colocar em vulnerabilidade a vítima.

O abuso pode ser psicológico, sexual, físico ou material, mas não se limita a nenhum deles. Qualquer uso indevido, manipulação ou exploração de poder com a finalidade de controlar os comportamentos, ações, pensamentos ou sentimentos de outra pessoa é abuso.



Características do abuso


O abuso pode se configurar em vários contextos diferentes, mas se caracterizam das seguintes formas:

  • O abuso físico

  • O abuso sexual

  • O abuso psicológico

  • A negligência

Essas formas de abuso podem ser evidenciadas de acordo com a teia social que está inserida, ganhando texturas como o Bullying, a agressão, o preconceito, a exploração sexual, o abandono,  a violência doméstica, etc..

Embora todo abusador seja diferente, suas atitudes e crenças básicas são semelhantes:

  • Não respeitam as pessoas ou consideram-nas iguais.

  • Acreditam que o outro(a) é sua posse ou propriedade.

  • Imagina que tem direito ao privilégio.

  • Tem pouca consideração pelo impacto que seu comportamento tem sobre os outros.

  • Prosperam em poder e controle.

  • Tem dificuldade em tolerar críticas ou derrotas.

  • Explora os outros.

  • Falta de empatia.



Características de um abusador no contexto doméstico


Ciúme:  No início do relacionamento, um abusador vai igualar o ciúme ao amor. O abusador vai questionar seu parceiro(a) sobre com quem fala em qualquer circunstância.


Comportamento Controlador:  No começo, um agressor atribuirá seu comportamento controlador à preocupação com seu parceiro(a). Conforme esse comportamento progride, a situação poderá piorar. O agressor pode assumir todo o controle e impedir que o seu parceiro(a) tenha liberdade.


Envolvimento Rápido:  A vítima passa por uma situação de abuso antes dos seis meses de relacionamento, morar juntos, ficar noiva ou se casar. Um abusador pode pressionar seu parceiro(a) para manter um relacionamento. Mais tarde, a vítima pode se sentir culpada por querer diminuir os encontros ou terminar o relacionamento.


Expectativas irrealistas: Os  abusadores esperam que seus parceiros(as) atendam a todas as suas necessidades, cuidando dos seus desejos emocionais ou domésticos.


Isolamento:  Um abusador tentará isolar seu parceiro(a) cortando seus laços sociais. Acusará os outros, como amigos e familiares da vítima, de serem “criadores de problemas”. O agressor pode bloquear o acesso do seu parceiro(a) ao uso de um veículo, telefone celular, computador ou capacidade de obter ou manter um emprego.

Culpam os Outros por seus Problemas:  Um abusador culpará os outros por suas deficiências. Alguém está sempre tentando prejudicá-lo(a) ou é um obstáculo para suas conquistas. A vítima em potencial será culpada por quase tudo que der errado. O agressor não se responsabiliza pelo abuso ou uso de comportamento controlador.

Culpam Outros por Sentimentos:  Um agressor usará sentimentos para manipular sua vítima. Frases comuns: "Você está me machucando por não fazer o que eu quero." "Você controla como me sinto" ou "Você me deixa louco".

Hipersensibilidade: Uma pessoa abusiva é facilmente insultada. Ele ou ela percebe os menores contratempos como ataques pessoais.

Crueldade aos animais ou crianças:  é uma pessoa que pune os animais brutalmente ou é insensível à sua dor. Ele ou ela pode esperar que as crianças atuem além de suas capacidades, por exemplo, espancar uma criança de 2 anos por molhar uma fralda.




Uso “lúdico” da força durante o sexo:  Isso inclui restringir um parceiro contra sua vontade durante o sexo; representar fantasias em que o parceiro é impotente; iniciando o sexo quando o parceiro está dormindo; ou exigir sexo quando o parceiro está doente ou cansado(a). O agressor pode mostrar pouca preocupação com os desejos do parceiro e usar o mau humor e a raiva para manipular o cumprimento.

Abuso Verbal:  Esse comportamento envolve dizer coisas desanimadoras, cruéis e dolorosas. Diminuindo ou reprimindo seu parceiro(a) em suas as realizações.


Papéis rígidos:  Espera-se que a vítima o(a) sirva. Por exemplo, um abusador do sexo masculino geralmente vê as mulheres como inferiores aos homens, responsáveis ​​por tarefas domésticas,  que são estúpidas e incapazes. Impondo que ela nunca conseguirá ter uma vida satisfatória sem o relacionamento.

Personalidade Dupla: Comportamento explosivo e mau humor, que podem mudar rapidamente para simpatia, são típicos em pessoas que batem em seus parceiros. Os abusadores são muitas vezes charmosos e equilibrados com os outros, embora sejam cruéis e malvados para seus parceiros.

História da violência / espancamento passado: Uma determinada pessoa ou situação não faz alguém abusivo. Se alguém tiver sido abusivo com um parceiro(a) no passado, é quase certo que será abusivo para futuros parceiros. Se ele / ela alegar ter recebido ajuda para se tornar menos abusivo, faça perguntas sobre que tipo de “ajuda” essa pessoa recebeu.

Quebrando ou golpeando objetos: Quebrar objetos é um comportamento usado como punição ou para aterrorizar a vítima e conquistar uma submissão.

Uso de força para reforçar um argumento: como por exemplo, um agressor segurando seu parceiro(a) fisicamente impedindo o parceiro de sair ou empurrando. Retrair alguém para fazer exigências, como "Você vai me ouvir!" É também uma demonstração de força, assim como restringir alguém para que ele(a) não possa sair. O estrangulamento é uma importante alerta para uma violência letal.



Álcool ou abuso de drogas:  Não é uma causa de violência doméstica, mas com o uso torna-se mais perigoso.

Outros sinais de aviso de uma personalidade abusiva:

Dirigindo rápido ou imprudentemente para assustar o parceiro

Vítima com medo de como o parceiro reagirá a coisas do dia-a-dia

A família e os amigos da vítima estão sempre preocupados


Quais as possíveis consequências do abuso?


O abuso causa consequências devastadoras em qualquer faze das vida das pessoas (crianças, adolescentes, adultos e idosos) e os efeitos pode se estender entre essas fazes . Vitimas de qualquer tipo de abuso, seja ele frequente o em um evento único, podem desenvolver distúrbios psicológicos posteriormente, incluindo transtornos de ansiedade, depressão, abuso de substâncias, estresse pós-traumático. Em idade precoce pode ocorrer transtornos de personalidade como o borderline, narcisista, histriônica, distúrbio dissociativo (transtorno de identidade) e transtornos sexuais podem estar presentes (sexo pode ser experimentado como indesejável (fisicamente e emocionalmente doloroso) ou com altos níveis de promiscuidade carregado com riscos aumentados de doenças transmissíveis e gravidez indesejada.

O abuso grave pode até levar a vítima a pensar em suicídio ou a carregar impulsos suicidas.


Tratamento


A recuperação de abuso que tenha acontecido em qualquer faze da vida e das piores formar imagináveis é uma jornada longa e difícil, mas a recuperação e uma vida normal são possíveis. Pessoas que identificam traumas  e investirem investem tempo e energia em autoconhecimento para ir rumo a recuperação poderão ter mais sucesso. Elaborar uma base para novo padrão de vida pode ser difícil diante dos traumas. As pessoas que passaram por abuso e participam de psicoterapia podem ter mais sucesso.


 

Psicólogo responsável:

William Lino Felis

Crp:06/140742

https://www.realitypsicologia.com.br/psicologo-william-lino

151 visualizações