Transtornos de Humor

A alteração do humor em geral se acompanha de uma modificação do nível global de atividade. Transtornos nos quais a perturbação fundamental é uma alteração do humor ou do afeto.




O que é Depressão?


A Depressão é um tipo de psicopatologia que produz alterações graves no humor e na afetividade, e seus principais sintomas estão presentes em outros subtipos de transtornos de humor.

Os transtornos de Humor tem diferentes condições e alterações entre si, e que são doenças muito comuns e sérias, suas principais condições são:

Essas condições afetam negativamente a maneira como as pessoas se sentem, pensam e agem. Os transtornos de humor tem muita semelhança por conta dos sentimentos de tristeza prolongada, perda do interesse em atividades anteriormente prazerosas, desânimo, pensamentos negativos entre outros sintomas, porem existe diferenças especificas entre eles e por isso é importante a avaliação de um profissional de saúde mental.

Transtorno de Humor é um termo genérico enquanto eles compartilham alguns sintomas comuns, eles também têm algumas diferenças importantes.


Possíveis causas de transtornos de humor


São vários os fatores que podem provocar alterações no humor, dentre eles, os fatores biológicos, psicológicos e sociais. As Causas comuns incluem:

  • Histórico familiar: Se há casos de depressão ou transtornos de humor na família, o risco do desenvolvimento da doença é maior. 

  • Trauma na primeira infância: Sofrer traumas na primeira infância pode contribuir para o desencadeamento de alterações. 

  • Estrutura cerebral: Há um risco maior de disfunções no humor se o lobo frontal do cérebro estiver menos ativo. No entanto, os cientistas não sabem se isso acontece antes ou depois do início dos sintomas depressivos.

  • Relacionamento familiar: Pais exigentes, críticos e pouco afeto na infância são situações apontadas como desencadeantes de depressão e outras condições.  

  • Uso de drogas: Histórico de abuso de drogas ou álcool pode aumentar o risco.

Além dessas causas, outros fatores de risco que incluem:

  • Baixa auto-estima ou autocrítica.

  • Estresse e ansiedade.

  • Episódios anteriores da doença.

  • Eventos estressantes, como a perda de um ente querido, problemas econômicos ou divórcio.

Muitos fatores podem influenciar sentimentos de depressão, as causas estão frequentemente ligadas a outros elementos da saúde.


Principais Sintomas

De acordo com o DSM-5 (Manual Médico), utilizado para diagnosticar transtornos mentais, os sintomas mais comuns dos transtornos de humor são:

  • Humor deprimido durante a maior parte do dia. 

  • Cansaço ou falta de energia quase todos os dias.

  • Sentimentos de inutilidade e culpa.

  • Dificuldade em se concentrar, lembrar detalhes e tomar decisões.

  • Dificuldade para dormir ou excesso de sono.

  • Falta de interesse ou prazer em atividades antes prazerosas.

  • Pensamentos frequentemente de morte e/ou suicídio.

  • Auto mutilação

  • Comportamento inquieto.

  • Perda ou ganho de peso.

  • Afastamento social

É normal ter alguns desses sintomas de tempos em tempos sem ter um diagnostico, mas se eles começarem a impactar sua vida cotidiana, podem ser resultado de depressão ou outra complicação. 


Tipos de transtornos de humor


1. Depressão maior

A depressão maior também é conhecida como transtorno depressivo maior , depressão clássica ou depressão unipolar. É bastante comum e cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil são diagnosticadas com esse transtorno por ano. Pessoas com depressão maior apresentam sintomas a maior parte ou todos os dias. Como muitas condições de saúde mental, isso tem pouco a ver com o que está acontecendo ao redor. O individuo pode ter uma família amorosa, muitos amigos e um emprego dos sonhos. Ter o tipo de vida que os outros invejam e ainda ter depressão. Mesmo se não houver uma razão óbvia para a sua depressão, isso não significa que não seja real ou que consiga resistir. É uma forma grave de depressão que causa sintomas como:

  • Desânimo, tristeza ou melancolia

  • Dificuldade em dormir ou excessos

  • Falta de energia e fadiga

  • Perda de apetite ou excessos

  • Dores inexplicáveis

  • Perda de interesse em atividades anteriormente prazerosas

  • Falta de concentração, problemas de memória e incapacidade de tomar decisões


2. Transtorno depressivo persistente

Transtorno depressivo persistente é uma depressão que dura dois anos ou mais. É também chamada de distimia ou depressão crônica. A depressão persistente pode não parecer tão intensa quanto a depressão maior, mas ainda pode prejudicar os relacionamentos e dificultar as tarefas diárias. Alguns sintomas de depressão persistente incluem:

  • tristeza profunda ou desesperança

  • baixa auto-estima ou sentimentos de inadequação

  • falta de interesse em coisas antes prazerosas

  • mudanças de apetite

  • alterações nos padrões de sono ou baixa energia

  • problemas de concentração e memória

  • dificuldade nas atividades funcionais

  • incapacidade de sentir alegria, mesmo em ocasiões felizes

  • retraição social

Embora seja um tipo de depressão a longo prazo, a gravidade dos sintomas podem se tornar menos intensa por vários meses antes de piorar novamente. Algumas pessoas também apresentam episódios de depressão maior antes ou enquanto apresentam transtorno depressivo persistente. Isso é chamado de depressão dupla. A depressão persistente dura anos a fio, então as pessoas com esse tipo de depressão podem começar a sentir que seus sintomas são apenas parte de sua visão normal da vida


3. Transtorno bipolar


Essa alteração do humor consiste em períodos de mania ou hipomania, nos quais o individuo se sente muito feliz, alternando com episódios de depressão. 

Para ser diagnosticado com transtorno bipolar I, é necessário experimentar um episódio de mania que dura sete dias ou menos,A pessoa pode experimentar um episódio depressivo antes ou depois do episódio maníaco e períodos de normalidade.

Para ser diagnosticado com transtorno bipolar Il é necessário ter episódios depressivos com períodos de normalidade seguidos de fases hipomaníacas que é uma forma menos grave de mania.

No transtorno bipolar ciclador é necessário que o individuo tenha apresentado nos últimos 12 meses, pelo menos 4 episódios de mania.

Os episódios depressivos têm os mesmos sintomas da depressão maior e os sinais de uma fase maníaca incluem:

  • energia alta

  • sono reduzido

  • irritabilidade

  • pensamentos e discurso de corrida

  • pensamento grandioso

  • aumento da auto-estima e confiança

  • comportamento incomum, arriscado e autodestrutivo

  • sentindo-se exaltado, "alto" ou eufórico

  • Em casos graves, os episódios podem incluir alucinações e delírios. A hipomania é uma forma menos grave de mania. pode se ter episódios mistos nos quais você tem sintomas de mania e depressão.

Em casos graves com episódios mistos o individuo tem sintomas de mania e depressão podendo ter alucinações e delírios. 


4. Depressão pós parto


Ocorre durante a gravidez ou nas quatro semanas seguintes ao parto. A depressão pós-parto (DPP) é um conjunto de mudanças físicas, emocionais e comportamentais que ocorrem em uma mulher após o parto. De acordo com o DSM-V (Manual Médico) usado para diagnosticar transtornos mentais, a DPP é uma forma de depressão, que tem seu início dentro de quatro semanas após o parto. O diagnóstico de depressão pós-parto baseia-se não apenas no tempo entre o parto e o início da doença, mas também na gravidade da quadro. A depressão pós-parto está relacionada a mudanças químicas, sociais e psicológicas. Mulheres com histórico de doenças psiquiátricas correm o risco de apresentar sintomas de depressão ou ansiedade após darem a luz.. As  questões como gravidez indesejada, sem planejamento, abandono do parceiro e imaturidade também são fatores que contribuem para o desenvolvimento da doença. Além dos sintomas comuns da depressão, a mãe pode apresentar distanciamento, desafeto,  apatia e desinteresse nos cuidados básicos do bebê. Pesquisas apontam que crianças podem ser afetadas pela depressão pós-parto se não tratada a doença da mãe. Essas crianças tem maior probabilidade de desenvolver distúrbios do sono, comprometimento no desenvolvimento cognitivo, insegurança e acessos de raiva. 



PRINCIPAIS SINTOMAS


A depressão pós-parto pode ser confundida com Baby Blues (Tristeza), contudo os sinais e sintomas são mais intensos e podem interferir na capacidade de cuidados com bebê. Os sintomas geralmente se desenvolvem nas primeiras semanas após o parto, mas podem começar durante a gravidez, ou mais tarde até um ano após o nascimento. Os sinais e sintomas da depressão pós-parto incluem:

  • Humor deprimido;

  • Choro excessivo;

  • Dificuldade de se relacionar com seu bebê;

  • Perda ou excesso de apetite;

  • Insônia ou sono excessivo;

  • Fadiga ou perda de energia;

  • Redução do prazer em atividades antes prazerosas;

  • Irritabilidade intensa e raiva;

  • Sentimentos de inutilidade, vergonha, culpa ou inadequação;

  • Diminuição da capacidade de pensar com clareza 

  • Concentrar-se ou tomar decisões;

  • Ansiedade e ataques de pânico;

  • Pensamentos de prejudicar a si mesmo ou ao bebê;

  • Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.



PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA DEPRESSÃO PÓS-PARTO  


O ciclo da maternidade pode ser prazeroso, entretanto as mulheres podem passar por desajustes emocionais e este processo se tornar difícil. A psicoterapia auxilia no equilíbrio emocional e na elaboração do papel de ser mãe proporcionando um espaço de acolhida, sem julgamentos em relação aos sentimentos e condutas da mulher. Construir  programas de atendimento psicológico durante a gravidez e incluir um plano de atenção para o período imediato ao pós-parto, são boas estratégias de intervenção para a prevenção. Uma das ferramentas utilizadas pelo Psicólogo é a triagem e o levantamento de dados, utilizados para desenvolver um plano individual e personalizado, potencializando a qualidade do pós-parto e prevenindo a depressão. O modelo de atendimento psicológico utilizado por profissionais, também inclui atendimento para as mulheres que planejam ser mães e querem se preparar psicologicamente para o momento.



5. O distúrbio disfórico pré-menstrual


O distúrbio disfórico pré-menstrual é uma forma grave da síndrome pré-menstrual. Embora os sintomas da TPM possam ser físicos e psicológicos, os sintomas do distúrbio disfórico pré-menstrual tendem a ser principalmente psicológicos.

Esses sintomas psicológicos são mais graves do que aqueles associados à TPM. Por exemplo, algumas mulheres podem se sentir emocionalmente fragilizadas ou instáveis nos dias que antecederam seu período menstrual, mas alguém com distúrbio disfórico pré-menstrual pode experimentar um nível de depressão e tristeza que atrapalha as funções do dia-a-dia.

Outros possíveis sintomas do incluem:

  • cãibras, inchaço e sensibilidade nos seios

  • dores de cabeça

  • dor nas articulações e músculos

  • tristeza e desespero

  • irritabilidade e raiva

  • mudanças de humor extremas

  • desejos de comida ou compulsão alimentar

  • ataques de pânico ou ansiedade

  • falta de energia

  • dificuldade em focar

  • problemas de sono



Similarmente à depressão pós parto, acredita-se que o distúrbio disfórico pré-menstrual esteja relacionado a alterações hormonais. Seus sintomas geralmente começam logo após a ovulação e diminuem depois da menstruação.


6. Depressão sazonal

A depressão sazonal, também chamada de transtorno afetivo sazonal e clinicamente conhecido como transtorno depressivo maior com padrão sazonal, é a depressão relacionada a determinadas estações do ano. Para a maioria das pessoas, isso costuma acontecer durante os meses de inverno. Os sintomas geralmente começam no outono, à medida que os dias começam a ficar mais curtos e continuam durante o inverno. Eles incluem:

  • retraimento social

  • aumento do sono

  • ganho de peso

  • sentimentos diários de tristeza, desesperança ou inutilidade

A depressão sazonal pode piorar à medida que a estação avança e pode levar a pensamentos suicidas. Depois que a primavera chega os sintomas tendem a melhorar. Isso pode estar relacionado a alterações nos ritmos corporais em resposta ao aumento da luz natural.





7. Depressão situacional

A depressão situacional é uma complicação relacionada com questões de perdas e luto, e parece uma depressão maior em muitos aspectos. Mas isso é causado por eventos ou situações específicas, como:

  • a morte de um ente querido

  • uma doença grave ou outro evento com risco de vida

  • passando por problemas de divórcio ou guarda dos filhos

  • estar em relacionamentos emocional abusivos

  • estar desempregado ou enfrentar sérias dificuldades financeiras

  • enfrentando problemas legais extensos


Obviamente, é normal sentir-se triste e ansioso durante eventos como esses e até mesmo se afastar um pouco dos outros. Mas a depressão situacional acontece quando esses sentimentos começam a parecer desproporcionais ao evento desencadeante e interferem no seu dia a dia. Os sintomas de depressão situacional tendem a começar dentro de três meses após o evento inicial e podem incluir:

  • choro frequente

  • tristeza e desesperança

  • ansiedade

  • mudanças de apetite

  • Dificuldade em dormir

  • dores e dores

  • falta de energia e fadiga

  • incapacidade de se concentrar

  • retraimento social


8. Depressão atípica

Depressão atípica refere-se a uma depressão que desaparece temporariamente em resposta a eventos positivos. Normalmente se referem a ele como transtorno depressivo maior com características atípicas. Apesar do nome, a depressão atípica não é incomum ou rara. Também não significa que seja mais ou menos grave do que outros tipos de depressão. Ter depressão atípica pode ser particularmente desafiador, porque nem sempre você parece "deprimido" para os outros (ou para si mesmo). Mas também pode acontecer durante um episódio de depressão maior e pode ocorrer com depressão persistente também. Outros sintomas da depressão atípica podem incluir:

  • Aumento do apetite e ganho de peso

  • Comer Transtornado

  • Imagem corporal pobre

  • Dormindo muito mais que o normal

  • Insônia

  • Peso nos braços e pernas que pode durar mais de 1 hora por dia

  • Sentimentos de rejeição e sensibilidade às críticas

  • Dores variadas


Tratamento Se você acha que pode ter algum tipo de transtorno de humor, é importante que procure um profissional de saúde mental. Todos os tipos de depressão discutidos nessa pagina são tratáveis, embora possa levar algum tempo para encontrar o tratamento certo para você. Existe algumas formas de tratar os transtornos de humor, dentre elas se destaca a Psicoterapia nas modalidades presencial e online, que traz ótimos resultados para quem sofre de algum desses transtornos. O tratamento consiste em  técnicas utilizadas pelo Psicólogo que tem por objetivo acolher o paciente, compreender os processos psíquicos e construir formas de lidar com a dor.  Em alguns casos é necessário a avaliação de um Psiquiatra que poderá introduzir medicações como antidepressivos. 


Psicólogo responsável: William Lino Felis Crp: 06/140742


https://www.realitypsicologia.com.br/psicologos-orientacoes

22 visualizações